BLOG

Em meio à pandemia, Arte Urbana está ganhando o interior do Brasil

Postado por JRN Empreendimentos  |  26/01/2021
Em Uberlândia, Minas Gerais, um grande painel artístico e interativo concebido por três artistas estáchamando a atenção da população e da mídia.Uma obra de arte à céu aberto, acessível a todos, para levar cultura, arte e colorir o cotidiano de quempassa pela região leste de Uberlândia, no interior de Minas Gerais, Brasil. Essa foi a ideia que deuorigem ao painel artístico e interativo de 40 metros de comprimento por 10 metros de altura que fica aolado do novo posto de combustíveis Montreal, localizado na rotatória que liga a Av. Anselmo Alves dosSantos, 4.800 – Gran Ville, próxima ao Parque do Sabiá.A novidade que já virou notícia até em canais de televisão da região se espalhou também pela internet eestá atraindo modelos, fotógrafos, digital influencers e muita gente que gosta de arte urbana. Como naregião turística de Wynwood Art Distict em Miami, visitada por pessoas de todo o mundo que vão para aFlórida, onde vários artistas se juntaram e pintaram as paredes e muros do bairro, na intenção de darmais vida ao lugar e torná-lo mais bonito… Ou no Leake Street, localizado embaixo da Waterloo Stationem Londres, onde as paredes grafitadas e coloridas conhecidas como “Banksy Tunnel” ou “GraffitiTunnel” fazem sucesso… Ou ainda na capital alemã, Berlim, que teve grande parte dos seus trabalhosartísticos criados logo após a queda do muro, em algumas regiões como East End em que é possívelencontrar pedaços inteiros do muro cobertos por pinturas feitas com spray… Ou mesmo os clássicos eincríveis trabalhos de Street Art em Paris… E em Praga, claro, não poderíamos deixar de citar o grandemuro com o rosto de John Lennon batizado em homenagem ao cantor e que virou um grande painelonde os visitantes deixam mensagens e desenhos.O painel artístico de Uberlândia foi inspirado também no Beco do Batman localizado na Vila Madalenaem São Paulo, que se tornou ponto turístico por causa dos grafites, e no CURA ART, o maior festival dearte pública de Minas Gerais que presenteou Belo Horizonte com seu primeiro festival de pintura emempenas, criando o único mirante de arte urbana do mundo. Da rua Sapucaí, na capital mineira, épossível contemplar todas as obras realizadas no hipercentro, incluindo o mural mais alto pintado poruma mulher na América Latina, com 56 metros de altura. Agora em 2020, o CURA chega à 5ª ediçãoreunindo a maior coleção de arte mural em grande escala já produzida por um único festival brasileiro.Para a idealizadora do painel artístico de Uberlândia, Marcela Neves, estamos em um momento em queum olhar diferente sobre o cotidiano pode fazer muita diferença na vida das pessoas. “Então, por quê nãodar esse incentivo para a cidade? Quem sabe a iniciativa não pode ser um pontapé para outras açõessemelhantes?”, sugere Neves.Três linguagens visuais e um resultado fantástico em UberlândiaO ponto de partida foi o projeto conceitual criado e desenvolvido. “Criamos um painel, com as coresvivas, nichos interativos para as pessoas se conectarem com a arte através das fotos, criamos nichosrealísticos e traços que se interligam e trazem movimentos com elementos como pássaros, vegetação emuita interação 3D com chuva colorida, balanço e muita vida. “O desafio proposto foi unir a arte deartistas diferentes, com traços e linguagens distintas e produzir um único mural”, declarou JamileGolfetto, responsável pelo conceito e seleção dos artistas. Para realizar esse belo projeto, três visõesartísticas distintas se misturaram para compor uma obra cuja proposta é a interação.Kim Ferreira, graduado em Artes Visuais pela Universidade Federal de Uberlândia, trabalha há mais de20 anos com pinturas comerciais, e nos últimos quatro dedica-se ao Graffiti que o fascina justamentepela liberdade e a interação que proporciona. “Hoje uso as ruas como um espaço aberto para estudoscriativos e experimentações na busca de uma identidade cada vez mais forte na arte. Conheci muitosartistas graffiteiros e ampliei muito meu processo criativo, agregando traços e formas de pintar que sódescobri utilizando as latas de spray, e pelo contato com a rua. A partir disso, pude levar a minha artepara os muros e ter mais visibilidade e reconhecimento, meus trabalhos saíram em revistas, reportagensna tv, fiz exposições coletivas e pude participar de eventos de Graffiti em várias cidades do País”, contaKim Ferreira, um dos três artistas que deixaram sua marca no novo muro de Uberlândia. Além dele, SilCotrin, artista paulista onde a street art é bem mais difundida, também foi uma das convidadas para oprojeto. E por fim, o estúdio local, Farândola, se juntou ao grupo para esplendorosamente dar vida aoprojeto.“O Muralismo consiste em aplicar ilustrações em forma de pinturas diretamente na parede. Utilizamostinta acrílica, resistente ao sol e chuva. Para esse projetos usamos temáticas florais, pássaros e formasda natureza, com cores vibrantes que remetem ao cerrado. Tivemos muitas trocas entre todos osprofissionais envolvidos, mas com linguagens artísticas diferentes, todos trabalhamos diretamente comarte mas com técnicas e mensagens diferentes.O desafio foi criar uma arte com coerência em que todos tivéssemos liberdade para expressar suasideias, sem limitações. Nossa ideia principal é a de que os visitantes e expectadores tenham a impressãode ser pequeno ao meio de folhas, flores e pássaros gigantes, apreciando as pequenas belezas danatureza em tamanho desproporcional. Esperamos que as pessoas visitem, prestigiem o trabalho e sedivirtam!”, disse Guilherme Batista (Estúdio Farândola).Endereço para visitação: Av. Anselmo Alves dos Santos, 4.800 – Gran Ville, próximo ao Parque do Sabiá.
https://folhanobre.com.br/2021/01/24/em-meio-a-pandemia-arte-urbana-esta-ganhando-o-interior-do-brasil/323812/
Veja todas as matérias:
COMPARTILHAR
16 3632 7575 atendimento@jrne.com.br Rua Conde Afonso Celso, 716 - CEP 14025-040 - Ribeirão Preto - SP
Política de Privacidade © 2021. JRN Empreendimentos.
Todos os direitos reservados.
Desenvolvido por Social One